Google Website Translator Gadget

English plantillas curriculums vitae French cartas de amistad German documental Spain cartas de presentación Italian xo Dutch películas un link Russian templates google Portuguese foro de coches Japanese catálogos de Korean entrevistas a Arabic Chinese Simplified

Buscar este blog

Cargando...

Traductor

martes, 4 de diciembre de 2012

Transfusão de sangue: quando existem tratamentos alternativos aos pacientes

http://jornalcidade.uol.com.br/rioclaro/dia-a-dia/saude/98704--Transfusao-de-sangue:-quando-existem-tratamentos-alternativos-aos-pacientes-

 

Existem procedimentos alternativos à transfusão de sangue

 

Quando a transfusão de sangue é indicada a um paciente, poucas pessoas se negam a receber. Mas e quando o embasamento religioso recusa tal procedimento?

Esta postura é adotada pelos Testemunhas de Jeová, que acreditam que as transfusões de sangue são proibidas por trechos bíblicos.

Um projeto de lei de 2005 do deputado federal Dr. Heleno previa instituir o direito de opção de tratamento de saúde alternativo a todos os pacientes passíveis do uso de transfusão, porém tal projeto não foi aprovado e está arquivado.

A recusa de tratamento médico motivada por convicção religiosa já tem proteção constitucional, mas poucas pessoas sabem que qualquer um, independente da religião, pode solicitar procedimentos alternativos à transfusão sanguínea.

 

Atualmente as comunidades médicas e jurídicas, ainda que de forma tímida, têm dado sinais de que tendem a reconhecer o direito do paciente de rejeitar determinados tratamentos médicos, independentemente do risco que ele esteja correndo com essa recusa.

 

Em todo o mundo existem mais de 100 mil médicos que utilizam técnicas alternativas à transfusão sanguínea. No Brasil, já por mais de uma década, os médicos vêm utilizando técnicas em substituição à transfusão sanguínea.

Pesquisas apontam que a experiência médica tem também demonstrado que a utilização de técnicas alternativas ao sangue apresenta diversas vantagens, sendo uma delas a impossibilidade de transmissão de doenças viróticas mortais ao paciente.

 

Vagner Gamba, da Comissão de Ligação com Hospitais para as Testemunhas de Jeová (COLIH), fala um pouco sobre o assunto, de forma a esclarecer a existência de procedimentos alternativos:

JC - Hoje existe muito preconceito por parte da sociedade a respeito desse assunto exatamente por não entender os motivos, que não são apenas religiosos. Vocês acreditam que falta informação médica sobre as alternativas?

 

Gamba - Não, hoje em dia uma rápida busca na internet sobre cirurgia sem sangue, alternativas às transfusões, no blood, etc, encontrarão muita informação a respeito e praticamente todas revistas médicas publicadas no mundo têm centenas de artigos sobre o assunto.

 

JC - Poderia citar alguma das alternativas existentes à transfusão sanguínea?

 

Gamba - Para pacientes anêmicos, uma alternativa é o uso de HrEPO, um hormônio que faz crescer rapidamente os glóbulos vermelhos. Em cirurgia, o recuperador de células, que aspira o sangue que seria perdido durante a cirurgia, filtra e devolve no mesmo momento ao paciente, evitando assim a necessidade de transfusões. E a mais utilizada em praticamente todas as cirurgias é a HNA, hemodiluição normovolêmica aguda, que retira um pouco do sangue do paciente minutos antes da cirurgia, repõe o volume de sangue retirado com um solução acelular e vai reinfundindo este sangue durante o procedimento para compensar a perda durante a cirurgia. Este é o procedimento mais simples e de custo praticamente zero, usado nos grandes centros cirúrgicos da Europa e dos EUA. Ainda existem dispositivos cirúrgicos para minimizar a perda sanguínea, técnicas para evitar e controlar hemorragias, técnicas anestésicas para limitar a perda sanguínea, expansores do volume, agentes hemostáticos para hemorragia e coagulação, e muitos outros. Importante ressaltar que cada caso é um caso e em cada um deve-se estudar quais estratégias usar e muitas vezes se usam uma combinação dessas estratégias a fim de obter o melhor resultado.

 

JC - Sobre os médicos que fazem os procedimentos, vocês acreditam que falta informação para que eles façam cirurgias sem a necessidade de sangue?

 

Gamba - A Comissão de Ligação com Hospitais, da qual faço parte, tem um programa de visita a médicos, hospitais, escolas de medicina, enfermagem, etc, pelo qual levamos informações atualizadas, fazemos palestras, conferências médicas, além de um amplo material que colocamos à disposição de qualquer médico ou instituição e sem custo, e muitos médicos têm se interessado pelo assunto, ampliando assim seus conhecimentos, técnicas em benefício não apenas desse grupo minoritário, mas de toda a sociedade, uma vez que sabe-se que, apesar dos avanços da medicina, ainda assim os riscos associados às transfusões são alarmantes e a mortalidade relacionada às transfusões continuam altas.

 

No hay comentarios.:

Publicar un comentario

.